quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Poema Português



Poema Português

Sinto uma alegria
Da língua que falo, da mulher que escolhi para amar e do meu trabalho
Das pessoas e do conforto de casa
Da minha terra Brasil
A alegria fala de resgates da memória
a infância sonolênta
De nunca mais a frente ser só
Alegria na língua que ganhei quando criança
E querer tanto saber usá-la
Imputa-me dignidade
mas temo o medo de ser disforme e maltratada em mim. Não me falar
Essa escassez de palavras a trancar-se nos porões de minha alma...
Alegria de seus dizeres
do barroco seu, beleza infinita
que atravessou o oceano a banhar-se e temperada de sal, os índios lhe causaram frenesis
Meu pai e minha mãe me falavam por ela
ainda me falam nas lembranças...
Essa linguagem que o divino Deus a construiu, óbvio
Caro Crátilo o belo é mesmo difícil...
Ao final da vida meus cabelos a pratearem
Juliane a esposa a me recitar um poema
aguardo por esse dia
a aprender ainda Português


RobertoMarcelo